Parceria entre empresas e blogs: 10 regras de etiqueta para serem seguidas

 

A parceria entre empresas e blogs já é uma realidade quando o assunto é divulgação e crescimento para os dois lados, mas, talvez por ser algo recente e até mesmo uma aparente “terra sem lei”, ainda existem muitos pontos a serem trabalhados. Você, inclusive, já deve ter reparado em muitas coisas erradas por aí, e é sobre elas que falarei nesse post hoje. Na verdade, reuni aqui 10 regrinhas de etiqueta que devem ser seguidas para que todos só tenham a ganhar.

Não é nada oficial, e há ainda muita coisa que pode ser acrescentada, mas já serve como uma base para você se atentar quando for buscar uma parceria para o seu blog ou empresa. Confira abaixo, anotando quais dizem respeito a cada lado:

1. Não enviar produtos vencidos:

Parece absurdo, não é mesmo? Mas, infelizmente, há empresas que fazem o envio de itens vencidos para serem utilizados e resenhados nos blogs ou canais, e eu mesma já vi acontecer num evento recente ao qual compareci. Não vou nem citar a questão da saúde que pode ser comprometida, mas sim a questão da ética e do trabalho sério: não encare os influenciadores digitais como desova. Se topou uma parceria estilo permuta, envie algo de qualidade, caso contrário melhor não se divulgar dessa forma.

2. Não enviar produtos quebrados:

Sim, isso também acontece, e é tão desagradável quanto o caso acima. Nesse mesmo evento que citei recebi alguns produtos que funcionam através de válvulas, e claro que não foi nada agradável perceber que alguns produtos simplesmente não saiam do frasco. Não era caso de parceria, mas não deixa de ser desagradável, uma vez que os produtos foram enviados como “mimo” para todos os participantes.

3. Não fazer parceria com marca concorrente ao mesmo tempo:

isso é mais comum do que parece, mas nem por isso significa que é certo. A vantagem de trabalhar nesse meio é que as coisas de fato são mais maleáveis e tudo depende do acordo feito, mas não custa ter um pouco de bom senso, não é mesmo? Principalmente se você tem um blog ou canal iniciante, evite “atirar para todos os lados” e foque em entregar algo de qualidade para uma marca de cada vez, tratando-a com exclusividade pelo período que foi combinado. Isso ajuda a passar mais seriedade e profissionalismo.

4. Tomar cuidado ao oferecer cupons de desconto:

Essa dica vale tanto para a empresa quanto para o influenciador, pois é de longe uma das formas de parceria mais procuradas. Praticamente todos os dias vejo algo similar nas redes sociais, e com base nisso já consegui mapear algumas empresas que realmente não se importam em de fato agradar os clientes, mas com você não precisa ser assim. Se você gosta de compras, provavelmente já deve ter percebido que 10 ou 15% de desconto não fazem nem cócegas, então por que as pessoas que te acompanham iriam se interessar? Esses valores não são vantagem, então pense bem antes de oferece-lo como parceria para um blog/canal ou antes de aceita-los para oferece-los aos seus seguidores.

5. Não falar bem de um produto que não gostou ou não usou:

Essa regra é básica, não é mesmo? Mas muuuuuita gente ainda comete o erro de se afobar para conseguir agradar uma marca e acaba tecendo elogios para um produto que não lhe agradou ou que talvez nem tenha chegado a usar. Não faça isso! Não usou? Então não fale nada. Usou e não gostou? Então dê sua opinião sincera ou, se preferir, não fale nada também nessa situação.

6. Não falar de um produto que não condiz com o seu público:

Há um tempo atrás a Thássia Naves fez uma propaganda bem escrachada em seu Instagram falando sobre um produto para deixar os ambientes “cheirosinhos” e recebeu uma chuva de críticas. E não é para menos: é preciso falar de produtos que conversem com os seguidores, coisa que ela não fez. Ok, tudo mundo gosta de uma casa cheirosa, mas vamos concordar que o público-alvo da blogueira em questão prefere falar de moda e assuntos mais sofisticados, e não de assunto para “dona de casa”, como alguns disseram. Aliás, que esse caso tenha servido para a marca aprender a estudar melhor seu próprio público e a forma certa de atingi-lo.

7. Respeitar a forma de trabalho do canal ou blog escolhido:

Você já deve ter percebido como os digital influencers são espontâneos e criativos, atraindo centenas, milhares e milhões de pessoas para a internet todos os dias. Isso acontece por que a forma de trabalho deles é exatamente assim: espontânea, criativa, sem muito roteiro. Mas tem muita marca que ainda não respeita isso e tenta impor coisas que podem não dar muito certo. É, sei que pode ser difícil de admitir, mas nesse meio são eles que mandam, e eles que conhecem a fundo o que pode ou não dar certo com cada tipo de pessoa. Você propôs um vídeo de 5 minutos e o profissional escolhido disse que é melhor investir numa foto pro Insta? Respeite isso, ele sabe o que fala.

8. Não fazer apenas permutas:

Enviar produtos ou dar descontos para ter sua marca divulgada num blog ou canal ainda é a forma preferida de trabalho da maioria das marcas quando o assunto é influenciadores digitais, mas é preciso admitir que esse quadro está mudando e respeitar isso.  Agora, mais do que nunca, esses profissionais estão preferindo pagamento em dinheiro, como deve ser, e não em forma de permuta, na qual muitas vezes quem mais ganha é a marca. Portanto, caso queira enviar os famosos mimos ao invés de cachê, sinta-se à vontade, mas só não se surpreenda se seus produtos não aparecerem em nenhuma rede social da pessoa escolhida.

9. Não ter complexo de estrelinha:

Ou, em outras palavras: não ache que as marcas precisam te mandar um brinquinho que seja pelo simples fato de você possuir 5.000 seguidores nas redes sociais. Existe todo um processo por trás que determina se isso é ou não viável, e se você é a pessoa certa para receber alguma coisa. Sim, tem muita gente por aí com canal grande que cria conteúdo de dar dó e recebe dezenas de coisas por mês sem merecer, mas é a vida nénom? Ainda tem muita empresa que vê só números, e não qualidade.

10. Não deixar o processo robotizado demais:

E, por último, talvez aquela dica cerejinha do bolo pra resumir tudo: não subestime a inteligência das pessoas! Em uma pesquisa rápida na internet você vai encontrar matérias citando o quanto as pessoas se irritam com publicidade mascarada, mas a situação para mudar isso depende dos dois lados (marca e influenciador) e não é nem um pouco fácil. Afinal, se você faz e não cita que é publicidade, fica forçado e ninguém gosta… se você sinalizada que é publi, como é determinado por lei, também fica forçado e ninguém gosta… se a pessoa simplesmente fala “de graça” de algo que gostou, também fica forçado e ninguém gosta. Resumindo: busque criatividade, SEMPRE!

E você, teria alguma outra regrinha de etiqueta que deva ser seguida num processo de parceria entre empresas e blogs ou canais? Deixa nos comentários =)

Ah, deixe também um voto nas estrelinhas abaixo para eu saber que você gostou do post ;)

Bjs =*

Compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
Gostou?

Author: publicitaty

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ei! Assine a nossaNewsletter

Ei! Assine a nossaNewsletter

Faça parte da minha lista de amigos e receba tudo em primeira mão no seu e-mail!

Legal, você assinou!

Email
Print