Hey, blogueira (o): é hora do puxão de orelha!

 

Antes de mais nada, se você realmente tem um blog ou canal, e principalmente se tiver acabado de entrar nesse mundo doido, peço que tenha paciência e leia até o fim. Sim, esse é mais um post reflexivo, mas só fará sentido se você ler e deixar um comentário ou compartilhar dando a sua opinião, pois trata-se de algo que precisa ser discutido.

Você pode até achar que não se trata de algo sério ou importante. Mas, cá entre nós, o comportamento, as atitudes e ações de quem faz a blogosfera são, SIM, muito importantes, e é disso que vim falar. Então relaxa aí, e senta que lá vem história…

OLHA SÓ QUE COISA:

Desde que comecei a acompanhar blogs em diversos grupos e redes sociais por conta do meu trabalho, reparei em diversas coisas: reparei que tem muita gente boa, reparei que tem muita gente com conteúdo “copia e cola”, reparei em muita gente que quer fama “pra ontem” e reparei que tem gente que, assim como eu, busca agregar e passar conteúdo útil para quem também cria conteúdo. Legal essa última parte, né? Infelizmente, nem tanto…

Mas, antes de explicar o motivo de não ser algo tão legal assim, tenho que falar um pouco sobre a percepção geral que uma pessoa que entra nesses grupos pela primeira vez tem. E, me desculpem os que realmente trabalham bem, mas ela é a seguinte: são centenas de pessoas que sonham chegar onde seus bloggers favoritos já chegaram, mas não se esforçam muito para que isso aconteça. São centenas de pessoas que acreditam que estão num grupo seleto de “um por todos e todos por um” e focam em criar conteúdo para ser visualizado por quem está nesse grupo, e não para o seu público alvo, afinal “no grupo tem interação”. São centenas de pessoas que ainda não entenderam que, em partes, seus bloggers favoritos tiveram uma dose de sorte, só que hoje isso não funciona mais tão bem, e só se destaca quem estuda o meio em que está.

E quando digo estudar, quero dizer estudar MESMO: entender de métricas, de concorrência, de marketing, buscar entender como as empresas atrás das quais você corre para tentar parceria trabalham… E é aí que eu e diversas outras pessoas entramos: fornecendo dicas e meios para que esse aprendizado seja mais fácil. Só que, por algum motivo, isso não é muito valorizado, por isso não é tão legal, entende? Não é legal para nós.

MAS POR QUAL MOTIVO?

E não é legal simplesmente por que essas centenas de pessoas citadas não dão a mínima. Claro que se for algo chato ou que não vá ser útil naquele momento, ninguém tem a obrigação de querer ler/acessar/aceitar. Porém o triste é ver que querem tanto crescer, fazer e acontecer, mas ignoram verdadeiras oportunidades de divulgação e crescimento, olhando sempre para o próprio umbigo. Vai por mim: estou sempre de olho, e já vi muuuita gente colocar oportunidades incríveis à disposição, mesmo que por valores bobos, mas fica no zero a zero  por que as pessoas para as quais divulga não são capazes de entender o quanto podem se beneficiar.

Mas agora eu te pergunto: quanto você acha que vale o SEU tempo e o SEU trabalho? Se você estuda e se esforça diariamente para ser boa (o) em algo, dificilmente irá trabalhar de graça, certo? Mas já parou para pensar que essas pessoas que estão aí para ajudar estudam o tempo todo e estão sempre em busca de mais e mais meios de TE ajudar? Será que eles também não merecem receber algo em troca de seus trabalhos? Aliás, aqui vão alguns exemplos, para ilustrar melhor o que quero dizer:

  • Um professor de idiomas passou horas estudando para poder te ensinar, investiu em viagens e materiais, além das horas de sono perdidas. E você paga pelas aulas, certo? Certo, pois sabe que dificilmente encontrará quem ensine de graça e com qualidade. E isso vale para diversas outras profissões que são úteis para você, como médicos, pedreiros, manicures… Então por que achar que não deve investir quando o assunto é ajuda para o seu próprio blog? E sim, é investimento, e não gasto, e isso muita gente também não entende.
  • Um “evento” organizado por uma blogueira “famosa”, no qual haverá muito bate papo, sorteios e fotos cobra X como ingresso e você vai, mesmo que isso não agregue em nada na sua vida ou no seu trabalho. Então por que uma ação que irá te deixar na mira de várias empresas, ou em contato com diversos profissionais que podem te ajudar pra caramba ou, melhor, te divulgar para milhares de pessoas no país inteiro tem que ser “de mão beijada”, e não receber algo em troca da inscrição? Aí você pode me dizer que existem empresas que te divulgam de graça, cobrando em cima somente dos seus resultados, e eu te pergunto: quando você começar a ter resultados, o valor cobrado por essas empresas será justo? É melhor pagar valores ridículos apenas quando tiver certeza de que terá tudo que citei acima, ou ficar pagando mensalidades e comissões sem nada em troca?

O que quero dizer é o seguinte, resumindo: tratam-se de serviços. Esse mundo digital confunde um pouco, mas são sim serviços prestados por pessoas capacitadas, então que tal tentar valorizar e entender o quanto podem te ajudar? Se você pode pagar para ir a um evento ou encontro que não te acrescentará muita coisa, apenas para ver tal blogueira, por que querer que um curso com dicas de SEO para o seu blog seja de graça, por exemplo?

RESUMINDO (MAIS) E FINALIZANDO…

Não pretendo vender meus serviços ou dos colegas da área que também buscam ajudar blogs e canais a crescerem. Longe de mim querer utilizar esse post para isso, mas gostaria sim de “cutucar essa ferida” e tirar algumas pessoas da zona de conforto. Na verdade, se pudesse, eu falaria algo do tipo:

“Acorda! O mundo não gira só em torno de você e do seu blog! Vá estudar marketing, principalmente o pessoal, pare de incomodar empresas, pare de querer imitar outras blogueiras, pare de se achar estrelinha quando na verdade nem sabe enxergar as oportunidades que colocam na frente do seu nariz!”

levando bronca

Mas seria só uma forma grossa de dizer tudo o que já disse e tentar te fazer entender que se o seu trabalho deve ser valorizado, o meu e os desses colegas também deve, certo? Certo. Infelizmente nem todos pensam assim, e isso as vezes desanima bastante. A única motivação é saber que ainda há muita gente boa, que dá valor e aceita críticas e ajuda para crescer.

Até mesmo esses colegas aos quais me refiro as vezes não se importam muito em valorizar o trabalho alheio ou entender que sozinhos não chegarão muito longe (irônico, não é mesmo? Rsrs). A prova disso, inclusive, são ações que precisam ser canceladas por que os então parceiros a princípio aceitam ajudar, mas fica por isso mesmo e, por fim, não ajudam em nada. Infelizmente já passei por isso e te digo: não é legal, mas ajuda a enxergar o ego e o “profissionalismo” das pessoas, o que não deixa de ser um aprendizado.

Acho importante reforçar que esse post é uma crítica a esse tipo de pessoa, portanto entenda que se você se esforça, faz algo bem feito e diferenciado, a crítica (construtiva, que fique bem claro) não é para você. Mas, de qualquer forma, quero saber sua opinião sobre isso.

Deixe um comentário, me fale se você concorda ou não comigo, se acha que estamos errados de cobrar pelo nosso trabalho…enfim, me conte seu ponto de vista, quero muito saber. Deixa também um voto nas estrelinhas abaixo dando uma nota, assim vou saber o quanto esse conteúdo foi bom.

Ah, outra coisa importante: não interprete errado, ok? Não quis dizer que toda e qualquer ajuda deva ser paga, mesmo por que muitas delas são bem superficiais. Quis dizer o seguinte: quando surgir uma ação, concurso ou evento que cobre participação, não deixe de participar pelo fato de ter que colocar a mão no bolso ou por não ser feito por empresas famosas. Se estão cobrando, é por que te trará coisa boa =)

Bjs

 

Compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
Gostou?

Author: publicitaty

Share This Post On

8 Comments

  1. Muito bom o artigo.
    Mas acredito que o problema não seja nem pagar. Estou ministrando um curso para blogs gratuito no rio de janeiro e poucas se interessam por em aprender, mesmo sendo gratuito poucas aproveitaram a oportunidade então creio que seja mesmo a passagem que você escreveu; todas querem sucessos e poucas fazem por onde!

    http://www.rockeiraevaidosa.com

     
    Post a Reply
    • Exatamente Pyttu.

      E se de graça já não aceitam, a menos que envolva uma boa marca por trás, pagar é mais difícil ainda. Essa é uma triste realidade, infelizmente.

      São coisas que só ensinam e agregam, mas falta força de vontade da outra parte.

       
      Post a Reply
  2. Esse post está muito bom!
    Nada cai do céu…
    E se você quer encarar como um trabalho, faça investimentos, se prepare para “nãos” e tudo mais!

    beijos

     
    Post a Reply
  3. Adorei seu post, acho que não podemos começar um blog pensando no dinheiro ou algo parecido, temos que lutar agora para ser reconhecido no futuro até porque nada na Vida é um coisa fácil.

     
    Post a Reply
    • Oi Bianca =)

      Pois é… e começando dessa forma, mais light, fica até mais fácil lidar com os desafios que aparecem no caminho, pois não existe cobrança. Infelizmente muita gente não pensa assim, embora seja uma coisa óbvia.

       
      Post a Reply
  4. Quando comecei a ajudar em blogs, instablogs entre outros, eu pensava exatamente que o mundo gira em torno de mim, que tudo deveria ser de graça “pq eu sou a boazuada”, porém comecei ler mais e estudar cada vez mais, vendo como é trabalhoso e como tem um valor nosso esforço. Se hoje procuro matérias gratuitos, ajudas gratuitas, eventos e cursos gratuitos? Claro que procuro, afinal existem pessoas que gostam de ajudar as outras, mas também não tenho aquele pensamento que tem que ser tudo de graça e se tiver que pagar por algo que me ajudará vou pagar sorrindo e não acho que deva ser gratuito, somente se você quiser disponibilizar e se quiser cobrar tem 100% do meu apoio.

     
    Post a Reply
    • Obrigada pelo comentário Biaah,

      É bem por aí… é bom ter as duas opções, e tanto pagando quanto de graça é possível encontrar coisas de altíssima qualidade e outras mais “fuleiras”… O que irrita vez ou outra é o esforço que temos para levar algo bacana para todos e a total ignorância por parte das blogueiras pelo simples fato de haver cobrança ou por não envolver marcas famosas. A história de se achar o centro do mundo ainda está longe de acabar…

       
      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ei! Assine a nossaNewsletter

Ei! Assine a nossaNewsletter

Faça parte da minha lista de amigos e receba tudo em primeira mão no seu e-mail!

Legal, você assinou!

Email
Print